Fique por dentro!

Gigante de água doce

por Joel Datena
Postado em 11 de Setembro de 2017

Quem estiver disposto a encarar a lendária piraíba deve procurar um lugar em especial: o Rio Araguaia

O Rio Araguaia oferece as condições ideais para a captura de um dos maiores peixes do mundo. A formação dos bancos de areia, definição de canais e muitos cardumes, chamam atenção para essa pescaria. 

Mais uma vez estou no rio das praias, no meu estado de Goiás para tentar fisgar a piraíba. Peixe de força descomuna! Antes de mais nada, é preciso estar preparado para muita "espera". 

Saindo de Goiânia e percorrendo aproximadamente 600 km, sendo 50 de estrada de terra, chegamos à Pousada Asa Branca em Fio Velasco, um vilarejo na beira do rio, um pouco abaixo de Luiz Alves (GO). 

O Araguaia, na minha opinião, é o rio brasileiro onde conseguimos capturar as grandes piraíbas com mais frequência. Grandes de verdade!

Para começar essa pescaria, a escolha da isca é algo importante. Começo leve, atrás de bicudas, mandubés e douradas.  Essas capturas feitas com isca viva deixam o pescador entretido. Uma ação atrás da outra! Escolho a "quebrada do banco", local onde afunda de uma vez. É ali que estão as iscas e também os grandes bagres. 

Falando em isca, tem gente achando estranho usar bicuda para atrair a piraíba. Pode até soar desta forma, mas eu acredito muito mais na oportunidade, do que no tipo de peixe usado como atrativo. Quero dizer que, se o predador encontrar a presa fácil, ele vai partir para cima. Sem essa de cardápio muito elaborado! 

Detalhe: para piraíba, a isca deve ser fresca. Gosto de alternar isca cortada com peixe vivo. A cortada dissipa mais odor, já a viva tem a vibração como atrativo. Atingimos assim importantes "ferramentas" de caça do grande bagre. As células sensoriais, responsáveis também por detectar cheiro e movimento, entram em ação.

A íntegra desta reportagem você confere na Edição 273 da Pesca & Companhia 

Newsletter

CADASTRE-SE E RECEBA TODAS NOSSAS NOVIDADES!

comentários