Fique por dentro!

Entre lajes e ilhas

por Pepe Mélega
Postado em 04 de Abril de 2018

Pescar na Baía de Paraty (RJ) é gratificante pela beleza, segurança e pela presença do robalo, espécie amada por muitos.

Sempre imaginei que aquele “emaranhado” de ilhas, lajes e parcéis da costa sul do estado fosse rico em robalos-peva e flecha, e que faltava apenas quem a eles se dedicasse. 

Meus desejos foram atendidos quando conheci Rafael Marcatto, um dos operadores de pesca da região. Marcatto é o tipo de pessoa que estuda, pesquisa e conhece muitos locais, e, com isso, sabe como os peixes se comportam — perfeito para o pescador que deseja uma experiência na região, mas não tem tempo suficiente para dedicar vários dias para aprender como se pesca por lá. 

Partimos, então, para nossa desejada estreia em Paraty. Fomos eu e Augusto Losacco, amigo e parceiro de muitos anos. Saímos de São Paulo e, em ritmo de viagem normal, levamos 4h30 para chegar, com uma parada estratégica para almoçar. Para quem vem da capital fluminense, a duração deve ser a mesma. 

Após nos hospedarmos na cidade, fomos ao encontro de Rafael para jantar e conversar sobre as condições de pesca, bem como saber detalhes sobre o barco e a tralha que usaríamos. Marcamos de nos encontrar na marina, que está localizada a menos de 20 minutos de carro do centro de Paraty (sentido Rio), às 8h do dia seguinte — este horário é padrão na região, e a pescaria termina pouco antes das 17h, quando a marina encerra as atividades. 

A íntegra desta reportagem você confere na Edição 280 da Pesca & Companhia!
 

Newsletter

CADASTRE-SE E RECEBA TODAS NOSSAS NOVIDADES!

comentários