Fique por dentro!

10 coisas que ninguém conta para iniciantes na pesca

por Redação
Postado em 15 de Maio de 2018

Enumeramos alguns detalhes que passam batido antes de alguém se meter a virar pescador

Inspirados numa matéria do site inglês The Telegraph, enumeramos 10 coisas que ninguém conta para iniciantes na pesca. Confira!

1 - Muita coisa cheira mal!
Sim. Da isca viva à isca podre (pergunte aos frequentadores de pesqueiro que usam mussarela). A isca soft fica com cheiro de borracha. O local pode exalar algum odor nada agradável. O peixe que você captura também pode cheirar forte. E sua camisa/camiseta pode ficar com algo impregnado, seja do seu suor, seja do peixe que você pescou.

2- Você ganha um estereótipo instantâneo
Vão te chamar de “mentiroso” e não vão acreditar nas suas histórias. E pior: isto muitas vezes não parte apenas de quem não pesca, mas também de outros viciados com certo “recalque”.Esteja preparado!

3- Muitas vezes a melhor hora é no fim do dia
Você acorda de madrugada, chega na água antes do sol raiar. E que hora pega o peixe ou começa a ter alções? Por volta das 17h, 18h...Isto é mais comum do que imagina e pescador que é pescador nunca reclama.

4 - "Aperitivos" são iscas incríveis
Sabe aquele camarão? Aquela sardinha? Ou ainda aquela tilápia? Salsicha? Queijo? Salame? Tudo isso preparado com capricho e acompanhado de uma cerveja gelada é uma delícia, né? Mas saiba que o investimento que você fazia para comprar este tipo de comida agora pode se tornar para comprar isca. Porque os peixes que você vai se apaixonar também gostam destas coisas – exceto a cervejinha, a menos que provem o contrário.

5 - Pesca de praia não é para principiantes
Gosta do mar, daquela brisa e energia positiva? Vê um monte de gente pescando na praia? Pois saiba que esta é uma modalidade extremamente técnica que, inclusive, vai exigir um arremesso diferenciado, uma leitura das ondas e das condições climáticas as quais se você sequer pescou um lambari com minhoca sob a ponte que corta o rio da sua cidade, não irá entender...

6 - Para pesca com isca artificial, você não precisa arremessar “perfeitamente”
Pois é! Ainda que instrutores falem ao contrário, você só vai conseguir fazer arremessos espetaculares com o tempo e olhe lá. O que o pescador precisa é encaixar o melhor trabalho da isca e fazer arremessos no local certo, mas não precisa ter vergonha de cabeleira, de acertar o toco e prender a isca.  

7- Durante a semana, você precisa de despertador. Para pescar, muitas vezes não!
Segunda-feira de inverno e você tem compromisso às 8h. Para despertar mais cedo, muitas vezes é um martírio e recorre até mesmo à função “soneca” a fim de ganhar mais cinco minutinhos de sono. No entanto, numa mesma segunda-feira fria, mas com pescaria marcada, vai acordar de madrugada eufórico para encontrar com os amigos, seja no local de pesca, seja num aeroporto e não vai dar um pio.

8 – Véspera de pescaria cura doenças
Sim! Pode ser que durante a semana o pescador esteja indisposto, resfriado ou com alguma dorzinha muscular. De repente, na véspera da pescaria, você vai ficar tão empolgado que tudo misteriosamente vai passar. Os mais experientes podem contar como é...

9 – Outros esportes podem cair no esquecimento
Depois que você se apaixona pela pesca, muitas vezes o futebol do final de semana dá lugar às pescarias. Ou até mesmo durante a semana, porque acaba dormindo mais cedo para acordar no outro dia pela madrugada e pegar a estrada. Não é regra, mas a pesca toma conta da maior parte dos momentos de lazer.

10 – Você passa muito mais tempo pescando do que pegando peixes
Saiba que a maioria das pescarias tem um resultado frustrante no ponte de vista de “quantidade” e de “qualidade” dos peixes. Serão raras as vezes que você irá acertar as duas coisas. Mas quando acontecer, certamente vai ficar muito satisfeito. Na verdade, pescador não se importa muito com isso e acaba movido pelo desafio, pela amizade, pelo contato com a natureza e a possibilidade de realizar um sonho. 

Newsletter

CADASTRE-SE E RECEBA TODAS NOSSAS NOVIDADES!

comentários