Fique por dentro!

Como aproveitar o Smartphone para fotografar

por T. Kubis/Revista Mariner Brasil*
Postado em 12 de Março de 2018

Não tem ou esqueceu a câmera? Seu aparelho celular pode resolver o problema

Como aproveitar o Smartphone para fotografar? No meu caso utilizo o meu iPhone 6 Plus para muito mais do que apenas fazer chamadas telefônicas, mandar mensagens, acessar as redes sociais e me manter informado sobre as tendências da mídia. Como cruzeirista, utilizo também para navegar, colher informações meteorológicas, pesquisar novos destinos, reservar vagas em marinas e até para fazer reservas em restaurantes.

Como fotógrafo profissional, utilizo também o smartphone para não somente suplementar o meu pesado e caro equipamento fotográfico profissional, como também para substituir — em alguns casos — a minha excelente DSLR, com todos os seus sensores. Apresentarei neste artigo alguns truques que aprendi, para que possa conseguir um resultado ainda melhor com a câmera do seu smartphone.

Fotos instantâneas

Em muitas situações, o que vale mesmo é a velocidade. Muitas vezes não dá tempo de ter seus dedos escaneados ou entrar com códigos de destravamento.

Para acessar a câmera do iPhone sem passar pela burocracia do destravamento, basta passar o dedo da direita para esquerda que terá a câmera à disposição em poucos segundos. Os equipamentos que usam sistema operacional Android possuem um aplicativo para abertura rápida de câmera com a mesma função.

Opções de flash: Auto, On e Off

No app de câmera do iPhone, no lado superior esquerdo há um ícone simbolizando um raio. Toque nele para que se apresentem os três modos de flash: auto, com e sem. Recomendo que deixe sempre no modo auto. Dessa forma, toda vez que o software da câmera detectar uma situação em que seja necessário clarear a imagem — o que para nós não acontece muito — o flash é ativado.

A maioria das fotos que tiramos ocorrem sob a influência de muita luz natural, então, para que flash? Alguns bons motivos: fotos tiradas na cabine ao amanhecer e/ou entardecer ou fotos de pessoas com bastante luz ao fundo podem requerer o uso de mais luz. Ou então, quando a pessoa a ser fotografada está olhando diretamente para o sol, para evitar o efeito conhecido como “olhos de guaxinim”. Deixar o flash ligado ou em automático, pode reduzir áreas profundamente sombreadas.

Opções High Dynamic Range (HDR): Auto, Com e Sem 

HDR significa Alcance Dinâmico Ampliado e é uma ferramenta que capta uma série de fotos com exposições diferentes, indo da mais baixa para a mais alta. Com sua utilização, as fotos ficam mais naturais, com maior separação entre sombras, tons intermediários e áreas brilhantes, além de propiciar maior definição nos detalhes. Para melhores resultados, utilize o HDR quando estiver captando paisagens e evite usar quando o sol estiver a pino e quando quiser tirar um série de fotografias em sequência rápida (burst). Saiba também que o flash se desliga automaticamente na opção HDR.

Selfie

Tocar no ícone da câmera com as flechas circulares aciona a câmera frontal, focalizando quem ou o que estiver operando o aparelho. Em outras palavras, transforma o seu iPhone em um “tirador de selfies”. Mas muita atenção: muitas fotos acidentais acontecem quando o operador esquece de voltar a câmera para a posição normal (câmera traseira).

Auto Timer

Quer tirar uma selfie mas não tem o pau de selfie, ou então fazer a foto perfeita da galera? Sem problemas. Toque no ícone circular que lembra um relógio e selecione entre o temporizador de 3 ou de 10 segundos. Coloque o aparelho em uma superfície que possibilite uma boa mira do objeto (de preferência longe das bordas falsas do convés) e aperte o disparador. O flash começará uma contagem regressiva, piscando uma vez a cada segundo e rapidamente antes de tirar a foto — que ocorre na hora em que escutar um som de obturador mecânico — e pronto.

Funções adicionais

Smartphones e câmeras oferecem uma variedade de funções adicionais que permitem expandir o uso de suas câmeras. No iPhone há uma série de formatos na borda inferior da tela que são selecionadas passando-se o dedo sobre elas, na direção desejada: time-lapse, câmera lenta, vídeo, foto, quadrado e panorama. Pode ser que alguns tablets não possuam todas as opções. Em modelos Android, essas funções podem ser encontradas dentro do sub-menu da câmera.

Time-lapse: nesse modo são tiradas fotos sequenciais em espaços regulares de tempo, com velocidade menor do que em vídeo normal. Dessa forma, quando reproduzido o filme, a ação é acelerada. Use para para encurtar uma cena longa, tal como uma manobra de atracação, por exemplo.

Câmera lenta: essa ferramenta desacelera uma ação normal. Quando estou dando curso de velas, uso para mostrar como enrolar o cabo numa catraca tipo self-tailing, mudanças de bordo, jibes ou qualquer outra função complexa onde se pode mostrar erros com mais detalhes, se a cena tiver a velocidade reduzida.

Vídeo: luzes, câmera, ação! Usase a função vídeo para documentar as melhores (e, às vezes, piores) experiências náuticas: golfinhos brincando na proa de seu barco, baleias saltando ou então tripulantes nadando, velejando ou simplesmente curtindo um novo destino.

Foto: essa é a posição para se tirar fotos normais. Com sua relação 4:3, as fotos podem ser editadas, copiadas, postadas ou enviadas por e-mail.

Quadrado: o modo quadrado funciona como o modo foto, porém a proporção, ao invés de 4:3, é de 1:1 (quadrada).

Panorama: essa função é um pouco mais complicada de se usar em um barco ou atracadouro em movimento, pois exige girar o aparelho mantendo o seu nível constante. Nele a câmera tira uma série de fotos em sequência e um software as emenda para criar uma foto panorâmica. A foto panorâmica pode ser compartilhada como as fotos comuns. Ela é especialmente adequada para registrar paisagens ou qualquer outro objeto comprido. Quando estiver tirando a foto nesse modo, é importante se conscientizar do movimento da plataforma onde estiver apoiado, pois a câmera exige um movimento de rotação constante e em nível, da esquerda para a direita.

Foco, exposição, zoom e mais

A maioria dos smartphones possui função de travamento de foco e exposição (bloqueio AF/AE). Toque a tela com o dedo (por cerca de 3 segundos) e a área tocada será a utilizada para fazer o travamento de foco e exposição. O bloqueio pode ser removido tocando rapidamente na tela. Quando ativar a sua câmera, notará que quadrados amarelos ou azuis aparecerão na tela. Ao lado dela, um ícone com um sol e uma linha vertical. Arrastar o ícone de sol ao longo dessa reta aumentará ou diminuirá o tempo de exposição.

No lado inferior da tela, um circulo amarelo possibilita o acionamento do zoom. O mesmo efeito se alcança utilizando dois dedos para expandir ou retrair a imagem. Nos fones Android, os botões de aumento ou diminuição de volume também podem controlar o zoom.

Edição de imagens

Ok, você capturou a imagem e ela está firmemente inserida na memória de seu smartphone, mas será necessário dar uma trabalhada nela. A maioria dos smartphones oferece a possibilidade de otimizar e/ou retocar imagens. Vá até a galeria de imagens do iPhone (o app de fotos), selecione uma imagem e, a seguir, toque no ícone com três linhas na parte inferior da tela. No Android, utilize a função de edição.

Na parte de baixo da tela aparecerão três ícones. O primeiro, das molduras com flechas, serve para cortar ou girar a foto. O próximo ícone, das três circunferências, permite aplicar uma série de filtros à sua imagem, tais como, mono, tonal, noir, atenuado, cromo, processado, transfer e instantâneo. Se não estiver satisfeito com o efeito, simplesmente selecione “reverter” e ela voltará ao estágio inicial. A última alternativa na edição (um círculo com seletor e pontos) permite fazer ajuste fino para modificar iluminação, remoção de cores, acentuar ou reduzir cores ou então transformar a foto em preto e branco. Essa função possui sub-menus que apresentam ajustes avançados e ferramentas de edição sofisticadas.

Postar e compartilhar

Selecione um vídeo ou fotografia da galeria, clique no retângulo com flecha (um “V” deitado no Android), selecione o tipo de mídia com o qual deseja compartilhar a(s) imagem(s) e pronto, já pode enviar para os destinatários escolhidos. As imagens podem ser enviadas em resolução alta, média ou baixa. O tamanho escolhido é que determina o tempo de transmissão através das redes celulares 3G ou 4G. Muitas vezes é necessário acessar uma rede Wi-Fi, pois os celulares podem não dar conta do recado. A maioria dos aparelhos permite escolher o tamanho das imagens a enviar ou postar. O meu iPhone oferece as seguintes opções (isso varia de aparelho para aparelho): pequena (39 kb), média (102 kb), alta (455 kb) e tamanho real (1,2 mb). Evidentemente, a opção pequena é enviada em velocidade muito maior que a tamanho real, mas perde muitos detalhes é fica muito ruim ao ser impressa.

Mas atenção aos smartphones

Navegantes vivem em um ambiente úmido, que é hostil ao seu smartphone. Antes de sair navegando por aí, recomendo considerar adquirir uma das inúmeras capas protetoras à prova d’água oferecidas no mercado. A maioria dos aparelhos também sobreaquecerá, se deixado diretamente no sol, e desligará automaticamente. Ele só poderá ser religado depois de devidamente resfriado.

Resumo

Os smartphones modernos estão cada vez mais parecidos com sofisticadas câmeras digitais. Além disso, a indústria de acessórios oferece suportes portáteis, mono e tripés, paus de selfie, lentes externas, caixas estanque e muito mais. É possível carregar centenas de apps que podem converter suas imagens em versões sépia, preto e branco, tirar imperfeições ou até publicar álbuns de fotos pela internet. Antes de sua próxima aventura a bordo, conheça e pratique com todas as ferramentas existentes na câmera de seu smartphone. Tenho certeza de que se surpreendera com a alta qualidade das imagens geradas.

*Conteúdo publicado no site da Revista Mariner Brasil

Newsletter

CADASTRE-SE E RECEBA TODAS NOSSAS NOVIDADES!

comentários