Fique por dentro!

Decoada: fenômeno mata peixes no Pantanal

por Lielson Tiozzo / Foto: Ecoa
Postado em 19 de Abril de 2017

Segundo o site Ecoa, fenômeno começou no final de março e já causa morte de peixes em importantes rios pantaneiros

O fenômeno da decoada mata peixes no Pantanal desde o final de março. As informações são do site Ecoa, que por meio de seu diretor André Siqueira, pôde confirmar o processo durante uma viagem à região.

À Pesca & Companhia, a Polícia Militar Ambiental de Mato Grosso do Sul também confirmou a mortandade dos peixes "em pouca quantidade", embora ainda não tenha uma estimativa quantitativa. 

A decoada é resultado de um processo de decomposição de matéria orgânica oriunda das margens, em que há consumo de oxigênio e liberação de dióxido de carbono livre. As altas temperaturas intensificam este fenômeno e ganham mais força em épocas secas. Isso se dá durante a cheia e a vazante dos rios.  

O processo de decomposição feito por bactérias acaba consumindo todo o oxigênio existente na água. Logo, os peixes acabam nadando na superfície, mas não resistem e morrem.  

De acordo com pesquisadores da Embrapa Pantanal, não há como evitar a decoada. O fenômeno ajuda a equilibrar o meio ambiente, porque aves pantaneiras, como a garça, podem se alimentar dos peixes mortos.

A decoada é mais comum nos rios Paraguai, Miranda na região do Passo do Lontra e no Taquari.

Newsletter

CADASTRE-SE E RECEBA TODAS NOSSAS NOVIDADES!

comentários